account icon arrow-left-long icon arrow-left icon arrow-right-long icon arrow-right icon bag-outline icon bag icon cart-outline icon cart icon chevron-left icon chevron-right icon cross-circle icon cross icon expand-less-solid icon expand-less icon expand-more-solid icon expand-more icon facebook-square icon facebook icon google-plus icon instagram icon kickstarter icon layout-collage icon layout-columns icon layout-grid icon layout-list icon link icon Lock icon mail icon menu icon minus-circle-outline icon minus-circle icon minus icon pinterest-circle icon pinterest icon play-circle-fill icon play-circle-outline icon plus-circle-outline icon plus-circle icon plus icon rss icon search icon shopify icon snapchat icon trip-advisor icon tumblr icon twitter icon vimeo icon vine icon yelp icon youtube icon
Carrinho (0)
Adicionados recentemente
0 Item Total R$ 0,00

Não disponível

Carrinho (0)

Adicionados recentemente

0 Itens

Total R$ 0,00

Não disponível

Rickéttsias

posted 2019 Apr by

CAPÍTULO 10 do Almanaque de Bichos que dão em Gente

Não é bactéria, não é vírus, é o quê? Com esse nome curioso, herdado do Rickett que a descobriu, a rickéttsia é um parasita intracelular tão minúsculo que quase não se vê no microscópio.

Vive no tubo intestinal de artrópodes como carrapatos, piolhos e pulgas; certas espécies gostam de humanos também – o que é péssimo, porque a infecção por rickéttsia pode provocar febres devastadoras.

Alguns tipos de tifo são causados por rickéttsias.

O mal de Lyme, transmitido pelo carrapato e muito temido atualmente nos Estados Unidos, é uma rickettsiose crônica, debilitante, que pode prejudicar o sistema nervoso central, o coração e todo o conjunto músculo-esquelético do humano.

Começa com uma erupção redonda e avermelhada na pele, chamada Erythema migrans, acompanhada por fadiga e/ou calafrios, febre, dor de cabeça, gânglios linfáticos inchados. O eritema aparece entre 3 e 30 dias depois da mordida do carrapato, no lugar onde ele mordeu, e se alastra, especialmente no tronco, axilas, coxas e virilha; aparece um relevo nas bordas à medida que o primeiro eritema aumenta, e podem surgir vários outros, redondos ou não.

Se a infecção não for tratada, deixa para algum momento do futuro a perspectiva de dores artríticas nas grandes juntas do corpo, como ombros e joelhos, e mais torpor, paralisia facial, meningite. Algumas pessoas com mal de Lyme nem tiveram o eritema.

Para saber se o que você vai sentir nas juntas depois de ter alimentado um carrapato na Disneylândia é mal de Lyme, só há um jeito: guarde o carrapato e investigue o bicho para ver se é um Ixodes scapularis parasitado por uma Borrelia burgdoferri. Mais detalhes na Internet – dezenas, centenas, milhares de sites sobre o mal de Lyme.

Outra variedade de rickettsiose made in USA é a febre pintada das Montanhas Rochosas, em que os parasitas invadem e matam as células do revestimento interno dos vasos sanguíneos e causam hemorragia, inflamação, coágulos e morte dos tecidos; se a doença não for tratada, é fatal em 20 a 30% dos casos.

No Brasil, a rickettsiose mais comum é a febre maculosa, transmitida pelo Amblyomma cajennense, o carrapato-estrela dos cavalos. Pega uma pessoa aparentemente sã e mata em semanas.

________________________________________________________________

capítulos online

1: VERMES? MELHOR NÃO TÊ-LOS!

2: A VIDA COMENDO SOLTA

3: NÓS, ELES, SINTOMAS E REAÇÕES

4: ONDE É A FESTA E QUEM FAZ

5: ANEMIA, INFECÇÃO E INFLAMAÇÃO

6: MAS E A IMUNIDADE, NADA?

7: BACTÉRIAS

8: FUNGOS

9: VÍRUS, DENGUE E OUTRAS FEBRES

10: RICKÉTTSIAS

11: PRÍONS

12: VERMES: ASQUELMINTOS NEMATÓDEOS

ÁSCARIS, OXIÚROS, ANCILÓSTOMOS, LARVA MIGRANS, FILÁRIAS, DIROFILÁRIAS, ONCOCERCOS, ANISAKIS, TRIQUINAS, TRICUROS, ESTRONGILÓIDES

13: VERMES: PLATELMINTOS TREMATÓDEOS

ESQUISTOSSOMAS, FASCÍOLAS, CLONORQUIS, PARAGONIMUS, EURITREMAS

14: VERMES: PLATELMINTOS CESTÓDEOS

TÊNIAS, CISTOS HIDÁTICOS, ESPARGANAS, DIPLOGONOPORUS, DIPILÍDIOS, HIMENOLEPIS, BOTRIOCÉFALOS

15: PROTOZOÁRIOS

AMEBAS, GIÁRDIAS, TRICOMONAS, TRIPANOSSOMAS, LEISHMÂNIA, MALÁRIA, TOXOPLASMAS, CRIPTOSPORÍDEOS, COCCÍDEOS, SARCOCISTOS, CLAMÍDIA, BALANTÍDEOS

Comments

Leave a comment