account icon arrow-left-long icon arrow-left icon arrow-right-long icon arrow-right icon bag-outline icon bag icon cart-outline icon cart icon chevron-left icon chevron-right icon cross-circle icon cross icon expand-less-solid icon expand-less icon expand-more-solid icon expand-more icon facebook-square icon facebook icon google-plus icon instagram icon kickstarter icon layout-collage icon layout-columns icon layout-grid icon layout-list icon link icon Lock icon mail icon menu icon minus-circle-outline icon minus-circle icon minus icon pinterest-circle icon pinterest icon play-circle-fill icon play-circle-outline icon plus-circle-outline icon plus-circle icon plus icon rss icon search icon shopify icon snapchat icon trip-advisor icon tumblr icon twitter icon vimeo icon vine icon yelp icon youtube icon
Carrinho (0)
Adicionados recentemente
0 Item Total R$ 0,00

Não disponível

Carrinho (0)

Adicionados recentemente

0 Itens

Total R$ 0,00

Não disponível

A senhora não tem nada! Vá para casa e sossegue!

posted 2019 Mar by

Trecho de entrevista com a nutricionista ortomolecular Cala Cervera, de Barcelona, Espanha

Um de seus temas favoritos parece ser a saúde intestinal. Você escreveu e deu palestras sobre a candidíase crônica e as infecções parasitárias. Esses temas despertam tanto assim o interesse das pessoas? Não são desequilíbrios minoritários?

– A presença desses desequilíbrios na população é altíssima. A quantidade de pessoas que passam anos cronicamente doentes e em quem não encontraram nada, já que nenhum exame acusava anomalia, e que no final foram diagnosticadas com depressão ou ansiedade e mandadas para casa para se acostumarem a viver com os sintomas, é muito grande… Conheci histórias que são de chorar.

O problema com esse tipo de desequilíbrios é, principalmente, que são pouco reconhecidos pela profissão médica espanhola. Ou seja, a candidíase, em geral, só é aceita se existir uma imunodeficiência, como no caso de pacientes com aids; se a pessoa está recebendo quimioterapia; ou se uma mulher sofre de “fungos” vaginais. Fora isso, esquece, pouquíssimos profissionais acreditam nela. E sem dúvida a candidíase crônica, incluindo a vaginal, se origina principalmente no intestino, e até que a pessoa deixe de alimentar o microorganismo, normalmente a Candida albicans, que está causando os sintomas, por mais óvulos vaginais e tratamentos sofisticados que lhe dêm não conseguirá debelar a infecção e em poucas semanas ou meses voltarão a surgir os sintomas.

Os parasitas, por outro lado, em raríssimas ocasiões são contemplados porque se assume que se você não viajou para algum país tropical é quase impossível infectar-se. Falso. Todos convivemos com parasitas e um organismo sadio sabe como proteger-se deles. Sem dúvida, a má alimentação, por exemplo baixa em vitamina B6 e zinco, impede a produção correta de ácido clorídrico no estômago, e ele é que se encarrega, entre outras coisas, de destruir qualquer parasita ou microorganismo não desejado. Há muitas pessoas sofrendo desses desequilíbrios sem diagnóstico. Não, não são minoritários. Em absoluto.

O livro de Cala H. Cervera sobre candidíase crônica está aqui. Valeu, Angela!

Comments

Leave a comment